Coisas além do
pepsik-pepsik.blogspot.com ,
ou não.
Background Illustrations provided by: http://edison.rutgers.edu/

“Fiquei pensando como eram difíceis as separações. Mas era só mesmo rompendo com uma mulher que se podia encontrar outra. Eu precisava degustar as mulheres para conhecê-las bem, para entrar no amago delas. Eu conseguia inventar homens na minha cabeça, pois era um deles; mas, as mulheres, era quase impossível escrever sobre elas sem as conhecer de fato. Assim, eu as pesquisava intensamente e sempre descobria seres humanos lá dentro. Deixava a escrita de lado. A escrita representa muito menos que o episodio vivido em si, até que terminasse. A escrita era apenas o resíduo. Homem nenhum precisava de mulher para se sentir real de verdade, mas era bem legal conhecer algumas. Dai, quando o caso ia mal, o sujeito conhecia pra valer o que era solidão e a loucura, e assim ficava sabendo o que o esperava quando seu próprio fim chegasse…
Eu era sensível a muitas coisas: um sapato de mulher debaixo da cama; o jeito de elas dizerem ‘vou fazer xixi’; prendedores de cabelo; andar com elas pelos bulevares a uma e meia da tarde, só os dois, juntinhos; as longas noites bebendo, fumando, conversando; as brigas; pensar em suicídio; comer juntos e se sentir bem; as brincadeiras, as gargalhadas sem motivo; sentir milagres no ar, estar junto com elas num carro estacionado; lembrar amores passados as três da manha, ser avisado de que você ronca; ouvi-la roncando; mães, filhas, filhos, gatos, cachorros; às vezes morte, às vezes divórcio, mas sempre tocando em frente, sempre chegando ao ponto final; ler um jornal sozinho numa lanchonete, nauseado pelo falo dela estar casado com um dentista de QI 95; pistas de corrida, parques, piqueniques nos parques, até prisões, os amigos chatos dela, os meus amigos chatos; seus porres, a dança dela; seus flertes, os flertes dela, as suas trepadas fora do penico, ela fazendo o mesmo; dormir juntos…
Nada de julgamentos, se bem que por necessidade a gente acaba ficando seletivo. Pairar acima do bem e do mal fica bem na teoria, mas pra seguir vivendo é preciso selecionar: algumas são mais ternas que outras; talvez estejam apenas mais interessadas por você. Às vezes, as belas por fora e frias por dentro, são uteis só pra uma boa sacanagem, igual aos filmes de sacanagem. As mais carinhosas trepam melhor na verdade, e depois de um tempo ficam lindas só por estarem ali”. By BUKOWSKI, Henry Charles - no livro Mulheres

(…),purguemos nossa alma a fim de que nem os afetos imoderados nos embaracem nem, por vezes, nossa mente incauta se entregue a delírios. By A dignidade do homem. - Pico Della Mirandola

"E todos nós somos meio dementes. O verdadeiro charme das pessoas reside em quando elas perdem as estribeiras, quando não sabem muito bem em que ponto estão…
Mas se não captar a pequena marca de loucura de alguém não pode gostar deste alguém… É exatamente este lado que interessa, aliás, fico feliz em constatar que o ponto de demência de alguém seja a fonte do seu charme…”. By (DELEUZE, Gilles)

Reblogged from quoteiros  1,030 notes

Então, minha querida Amélie, você não tem ossos de vidro. Pode suportar os baques da vida. Se deixar passar essa chance, então, com o tempo, seu coração ficará tão seco e quebradiço quanto meu esqueleto. Então, vá em frente, pelo amor de Deus. By O Fabuloso Destino de Amélie Poulain (via quoteiros)

Reblogged from z-a-z-u-l-e-j-o  20,482 notes

É provável que um dia ela negue que tudo isso aconteceu, negue que foi bom ter acontecido, negue que foi importante, negue que algo mudou dentro da gente, daqui para o resto de nossos dias, a perder de vista. Mas estou lembrando de tudo isso agora, e que sei ela também está, aonde estiver. Mas não importa mais. Algumas pessoas apenas não nascem para ficar juntas, digo juntas-juntas, embora seus encontros físicos sejam bem românticos e inesquecíveis. Vai ver é isso que querem dizer quando dizem que tudo isso é um jogo. Se você foi derrotado, não faz sentido ficar depois assistindo as reprises dos melhores momentos. Só tope jogar se souber perder. E eu perdi. Nós perdemos. By Gabito Nunes. (via z-a-z-u-l-e-j-o)